Disciplina positiva

DISCIPLINA POSITIVA EM AÇÃO: fazer para e fazer junto

Sabe aquele momento em que você pensa que apesar de ter tirado tudo do seu filho, ele
ainda continua se recusando a fazer o que deveria? Você se pergunta: “Porque as
consequências não estão funcionando?”

A razão mais provável é você tenha respondido ao mal comportamento dele com a crença
de que precisava fazer alguma coisa PARA ele em vez de fazer algo JUNTO com ele.
Fazer PARA as crianças coloca os pais em uma mentalidade de “nós contra eles” e
convida às disputas de poder.
Fazer JUNTO com os filhos, ajuda os pais a mudar para a colaboração, que é uma
habilidade muito importante que as crianças precisam praticar.

O programa Disciplina Positiva incentiva os pais a se concentrarem mais em
acordos e combinados do que em regras, assim que as crianças tiverem idade
suficiente para terem uma discussão focada em soluções (a partir dos 4 ou 5 anos).
Uma conversa focada em soluções pode começar com algo como “Eu entendo que você
quer_____. Também acho é importante que você _________. Como podemos fazer isso
funcionar?”

Gaste alguns minutos fazendo um brainstorm de possibilidades, elimine os que não
funcionam para os dois lados e escolha um que seja fácil de seguir.
Depois de ter o acordo, discuta o que acontecerá se não for seguido. Você sabe, as
consequências. Lembre-se de manter o acompanhamento, para dar seriedade ao
combinado.

Criar o acordo e a consequência juntos é frequentemente suficiente para envolver a
cooperação da criança, porque ela teve voz no processo.
Lembretes podem ser necessários. Eu gosto de estabelecer, como parte do acordo,
quando eu terei “direitos de importunar”. Se alguma coisa deveria ser completada até as
15h de sábado, meu (dos pais) direito de importunar começa às 13h. Pode parecer irônico,
mas eles me dão permissão para lembrar dentro de um prazo razoável, e levar em
consideração o fato de que meu filho pode precisar de um pouco de ajuda para sair da
procrastinação a tempo de evitar a consequência.

Provavelmente irá haver reclamações do seu filho da primeira vez, mas se você tiver a
calma e disser que manter acordos é importante porque dá a ele a opção de escolha, ele
irá cooperar.
Resista a tentativas de argumentar, recursando-se a participar de uma conversa sobre o
tópico até que tenha sido cumprido o acordo. A maioria dos comportamentos desafiadores
que as crianças nos apresentam podem ser resolvidas com acordos e não com regras.
Isso inclui rotinas matinais, de sono, tarefas domésticas, uso de telas e horário de voltar
para casa.

Conversas focadas em soluções não precisam ser longas para serem eficazes,
especialmente quando as temos com frequência suficiente para que elas se tornem parte
de nossa cultura familiar. E uma vez que elas são “exatamente o que fazemos”, você ficará
surpreso com o quanto você e seu filho se engajará no trabalho de equipe, em vez de
conflitos.