Novidades

O professor e sua voz – inimigos e aliados

Fga Marisa S Viana Jesus e Fga Claudia Ligocki

A voz está presente na risada, no choro, no canto e na fala. Pode ser melodiosa ou dissonante, pode ser rouca, fina, grossa, pode combinar ou descombinar com determinada pessoa. Pode transmitir o “não dito”, a voz não mente. O som da voz tem a dupla função de informar conteúdo e também, sentimentos. De modo particular para o professor, a voz ensina, controla os alunos, mostra atenção e carinho e é o principal recurso de transmissão do conteúdo de aula.

Entretanto, para alguns, esta voz pode não corresponder às exigências do ofício. é muito frequente que os professores tenham problemas de voz. Isto ocorre porque os professores usam a voz constantemente e, assim como os atletas usam os músculos do corpo, no caso, os músculos das pregas vocais. Contudo, ao contrário dos esportistas que se submetem a treinos específicos e desenvolvem um preparo físico suficiente geralmente para resistir ao desgaste de sua profissão, é raro que um professor tenha tido a oportunidade de desenvolver sua voz para comunicação em sala de aula. Além disso, a voz para ser efetiva tem que contar com a ajuda de condições ambientais que favoreçam sua projeção e, muitas vezes, isso não acontece nas escolas.

Alguns cuidados podem auxiliar nesta empreitada de ter boa voz, mesmo sendo professor. Perceber desvios vocais e procurar minimizar o desgaste é um dos primeiros passos para preservar o bem-estar vocal. Dosar o tempo de fala, o tom (fino ou grosso),o volume da voz (fraco ou forte), intervalos de repouso de fala, hidratação e competição com outros ruídos (conversas na classe e barulhos externos) são algumas estratégias a serem utilizadas no dia-a-dia.

Esta voz pode estar comprometida por causa de alguns aspectos. Falar demais quando se está doente, cansado, após uma noite mal dormida, com gripes ou resfriados, em ambientes inóspitos e quando se está muito estressado são alguns inimigos da voz. Evidentemente, o fumo e o álcool são reconhecidamente prejudiciais à saúde como um todo e de modo particular constituem o maior risco vocal.

Se deseja manter sua voz saudável, observe as seguintes dicas: desenvolva uma escuta diferenciada, prestando atenção em sua voz e na voz dos outros, procure reduzir a força com que você fala, melhore suas condições físicas, respeite seus horários de alimentação e descanso e veja se há possibilidades de introduzir melhorias em seu ambiente físico de trabalho. Lembre-se de que manter o corpo hidratado, tomando goles de água durante as aulas é um recurso fácil, simples e bastante efetivo para reduzir o atrito entre as pregas vocais.

Caso já observe voz cansada ou com rouquidão, fale mais devagar, use a voz mais baixa, desenvolva atividades com os alunos que exijam menos de sua voz.

Não espere que digam a você que sua voz não está boa. Posicione-se, escute sua própria voz e mobilize-se para que ela seja agradável a você e aos outros. Seja você o primeiro amigo de sua voz.